Bosquinho Poeta : A esperança que vem da Cultura

3

Texto de Professor Rodrigo Froés

Divulgação Oficial redes sociais

Iniciamos nossa coluna da semana apresentando o escritor e compositor amazonense Bosquinho Poeta.

Homem da Cultura com uma trajetória artística, de superações na infância foi o homenageado da live do Carnaval 2022 da escola de samba Dragões do Império.

Amazonense, que na infância morou no bairro Praça 14, Zona Sul de Manaus, sempre lembra os ensinamentos da mãe. “A minha mãe, com aqueles olhos azuis da cor do céu, da cor do manto de Nossa Senhora, sempre foi um espelho pra mim, minha musa inspiradora, minha primeira musa, me incentivou muito nesse caminho da leitura”, enfatiza.

Na infância morou numa palafita junto a seu pai que era carpinteiro, seus 11 irmãos e sua mãe, doméstica. Só que com a necessidade de uma ajuda financeira para a família desde os 10 anos já começou a carregar trouxa de roupa na cabeça para fazer entrega. Também foi picolezeiro e jornaleiro profissões que se orgulha muito.

‘Eu amo ser poeta’

Fã de Roberto Carlos desde criança. Bosquinho se identifica como “amante à moda antiga”, em alusão a uma música do ‘Rei’.

Na adolescência, Bosquinho Poeta, que começou a trabalhar de carteira assinada aos 12 anos de idade, almoçava em uma unidade do Sesc Amazonas. O envolvimento com a literatura começou ali.

“Eu frequentava, no meu intervalo, as bibliotecas. Eu ficava encantado com Gonçalves Dicas, Casimiro de Abreu, Machado de Assis, José Lins do Rego, Érico Veríssimo. Eu sempre fui apaixonado. E isso me cativou ainda mais para escrever os romances do meu coração”, disse.

Depois, o artista conheceu o carnaval e começou a nutrir o desejo por atuar no segmento. “Um amigo me levou para a Reino Unido da Liberdade, na Zona Sul, nesse bairro encantado que é o Morro da Liberdade, é o Morro de amores, morro da paixão, esse bairro presente, tradicional em Manaus”, lembrou.

Hoje, Bosquinho faz parte da ala dos compositores da escola de samba e um dos sócios da agremiação. O artista também é empresário, mas prefere ser conhecido pelo lado poeta. “Eu sou apaixonado pela poesia”, ressaltou. “Eu amo ser poeta, é maravilhoso ser poeta. Eu me consagro sendo poeta”, completou.

Resumo da trajetória

João Bosco Rocha, conhecido como Bosquinho Poeta, é natural de Manaus. O amazonense é autor dos livros ‘Memórias Poéticas de Um Sonhador’ (2003, 2006) e ‘O Testemunho das Estrelas’ (2015).

Tem poemas publicados nas antologias ‘Poiesis’ Vol. 3 (2021), ‘Coletânea Imortais IV’ (2021), ‘O melhor poeta contemporâneo’ (2020) e ‘A imortalidade amazônica’ (2017).

Empresário, poeta, escritor e compositor, é formado em Administração e pós-graduado em Gestão Ambiental. Atualmente, é membro da Academia de Letras do Brasil (ALB), da Academia de Letras e Culturas da Amazônia (ALCAMA), da Associação Brasileira de Escritores e Poetas Pan-Amazônicos (ABEPPA), Acadêmico Imortal da Academia Intercontinental Sênior de Literatura e Arte (AISLA) e da Academia Amazonense Maçônica de Letras (AAML).

Conhecido no mundo do samba, Bosquinho Poeta também é um dos compositores do Grêmio Recreativo Escola de Samba Reino Unido da Liberdade. Ele participou da composição de sambas campeões do Carnaval Amazonense de 2016, 2017, 2018, 2019.

3 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns, meu querido @bosquinhopoeta por mais este reconhecimento pelo sua dedicação a cultura do Amazonas. Abraço fraterno ✋✋

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui